O biogás é uma alternativa que vem se destacando para modificar o cenário da mobilidade urbana. Com as políticas desenvolvidas para reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), as fontes renováveis surgem como uma forma de colaborar com um futuro mais sustentável de diversas formas. Seja na mobilidade urbana, na geração de energia ou calor, o biogás pode estar presente como uma forma de reduzir o crescimento da camada de ozônio, de aumentar a geração de renda e de principalmente, ser o protagonista na gestão de resíduos orgânicos. Esses que, quando não tratados corretamente, fazem o trabalho inverso, contribuindo para a poluição do ar e tornando-se um grande passivo ambiental. 

Biogás como biocombustível

Biogás na mobilidade urbana

Resultado da digestão de resíduos sólidos orgânicos e de resíduos sólidos urbanos, o gás do biogás pode ser convertido em um biocombustível a partir da sua purificação. A transformação acontece na separação das moléculas do metano e do dióxido de carbono. Essa conversão do biometano depende de 90 a 95% de purificação do biogás.

Diversas empresas automobilísticas já estão começando a investir no biometano como outra fonte de combustível. Todas com o objetivo de contribua preservação ambiental com menos combustíveis fósseis a partir da adaptação dos veículos. 

De acordo com Rafael González, diretor presidente do CIBiogás, o biometano se apresenta como um meio para interiorização do gás no País e reduz consideravelmente a emissão de GEE, responsáveis pelo aquecimento global.

 “Com o biometano é possível ter uma matriz de mobilidade mais limpa e renovável, uma vez que ele contribui na transição energética do país com a descarbonização dos veículos de modo geral”, explica.

Segundo o documento, Panorama de tecnologias aplicadas no agronegócio de biogás e biometano, a produção descentralizada de energia e combustível, apresenta uma tendência para o desenvolvimento do biogás no Brasil. E nesse contexto, o  biometano tem grande potencial, porém pouco explorado na região Sul, por exemplo. Para que a fonte seja democratizada, cada ação depende da agência reguladora. Esta, define as regras de monitoramento da qualidade do biometano, o que impacta os custos e instrumentos para a medição da fonte.

O uso de biometano funciona como o modo de abastecimento comum. Capaz de fornecer combustível para veículos leves e pesados, ele também contribui para a geração descentralizada. Isso, permitirá que municípios do interior viabilizem essa aplicação pela gestão de resíduos.

A cana-de-açúcar

As pesquisas para o desenvolvimento do biometano só crescem. A cana-de-açúcar, como resíduo do setor sucroalcoleiro tem grande potencial para ser transformado em um combustível sustentável de qualidade. O resíduo aumenta a produtividade das plantações dos produtores engajados com a causa. O biodiesel também é uma dessas opções que podem surgir a partir da indústria de alimentos. Sendo assim, temos apenas olhares positivos para o biogás na mobilidade urbana através da gestão de resíduos.

RenovaBio e os biocombustíveis

A RenovaBio é uma das políticas que impulsiona o uso do biometano. A política preza pelo estabelecimento de metas anuais e nacionais que priorizam a descarbonização do setor de combustíveis. Essa iniciativa, contribui na democratização do biometano. 

Mas como funciona esse programa? Bom, as metas nacionais lançadas pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), serão anualmente desenvolvidas a partir de metas individuais compulsórias para os distribuidores de combustíveis, de acordo com a participação dos mesmo no mercado de combustíveis fósseis. Assim, será emitido a certificação da produção de biocombustíveis para cada produtor e importador da alternativa. De acordo com a Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis esse valor será inversamente proporcional à intensidade de carbono do biocombustível produzido. “A nota refletirá exatamente a contribuição individual de cada agente produtor para a mitigação de uma quantidade específica de gases de efeito estufa em relação ao seu substituto fóssil (em termos de toneladas de CO² equivalente)”

Em resumo, o RenovaBio é composto por esses eixos estratégicos:

  • Metas de Descarbonização; 
  • Certificação da Produção de Biocombustíveis;
  • Crédito de Descarbonização (CBIO).

(Dados: ANP e MME)

Potencial Brasileiro

Com o grande potencial do Brasil no mercado do biogás, o biometano também se destaca, uma vez que o biogás traz consigo a possibilidade da mobilidade urbana sustentável. Neste quesito, a economia de baixo carbono é um dos principais fatores que incentivam esse mercado. A média do Brasil em relação a matriz energética é muito maior do que diversos países que já trabalham com o biogás na mobilidade urbana. Porém, esse potencial deve ser melhor aproveitado para transformar todo o cenário econômico e ambiental do país. 

O setor de transportes no Brasil é um dos protagonistas na emissão de gases poluentes. Em outros âmbitos, a matriz elétrica do país acaba não sendo uma das personagens no quesito poluição, atuando de forma majoritariamente limpa. A mobilidade urbana, hoje, é uma das responsáveis pelos gases oriundos do consumo e produção de gasolina e diesel. Neste cenário, entender como aproveitar todo esse potencial nacional abre espaço para aumentar a compra de veículos que emitam menos CO2 pelo desenvolvimento de motores de combustão interna ou por tecnologias de eletrificação.

Ônibus movido a biometano

E dentre as empresas envolvidas no ramo do biogás como futuro da mobilidade sustável, a Scania vem inovando com lançamentos teste em diversos estados no Brasil. Em Foz do Iguaçu, do dia 8 a 12 de novembro de 2020, o veículo exclusivo K280 da Scania com com motor a gás esteve à disposição dos passageiros na linha Itaipu Binacional – Parque Nacional do Iguaçu (PNI). 

Durante o período, o veículo foi abastecido com mais de 18 toneladas de resíduos que são tranformadas em biometano. A ação foi uma parceria entre Scania, Itaipu Binacional, Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás), Instituto de Transporte e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans) e Cataratas S.A, para demonstrar os benefícios econômicos e ambientais da conversão do biogás na mobilidade urbana. A intenção foi conhecer o desempenho do ônibus utilizando o biocombustível, testar o rendimento, bem como estimular a futura adoção desta tecnologia no transporte público deste tipo de equipamento.

Para que a demonstração fosse realizada, a Itaipu Binacional garantiu o abastecimento do ônibus movido a biometano, produzido com os resíduos dos restaurantes que são transportados e convertidos na UD ITAIPU. O ônibus transportou 662 pessoas durante a sua estadia na cidade. Uma das usuárias foi a estudante de psicologia, Helena Benevides, que aprovou a solução sustentável. 

Ela conta que esta foi a primeira vez que esteve em um veículo movido a biometano. 

“É importante ao meio ambiente. É moderno, confortável e muito inteligente”, afirma. 

Positivo em todos os aspectos

Os motores movidos a gás apresentam vários benefícios com relação a redução de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). Em comparação com a legislação que regulamenta tais emissões no Brasil (Proconve P7), os motores a gás podem reduzir em até 90% as emissões prejudiciais à saúde (Material Particulado e Óxidos de Nitrogênio – NOx). Além de ter grande redução do nível de ruído.

Para o diretor superintendente do Foztrans, Fernando Maraninchi, os reflexos foram positivos, especialmente para os usuários que aprovaram as tecnologias e confortos disponibilizados no veículo. 

“É viável ambientalmente, pois esta tecnologia proporciona emissões de gases extremamente baixas, quando comparada com o diesel Euro V, socialmente pelo conforto proporcionado aos usuários e viável economicamente, porque o custo do gás representa em torno de 20% do custo do combustível fóssil. Com o resultado desse teste demonstrativo, teremos dados suficientes para planejar um sistema de transporte mais sustentáveis em nossa cidade”,

explica, acrescentando que o município também avalia a possibilidade de aquisição de mais veículos pela prefeitura.

Um estudo realizado pela Associação Brasileira de Biogás e Biometano (Abiogás) que afirma que o biometano tem potencial para substituir até 70% da demanda de diesel no Brasil.

De acordo com Rogério Meneghetti, engenheiro eletricista da Divisão de Planejamento e Infraestrutura da Itaipu Binacional, o investimento na construção da UD ITAIPU e nos estudos relacionados ao biogás impulsionou o desenvolvimento da fonte na região e no País. 

“Reduzir os impactos ambientais e fomentar a utilização desta energia renovável faz parte dos objetivos institucionais da Itaipu. Muito nos motiva ver o biometano em plena expansão”, afirma. 

O impacto do biogás na mobilidade urbana

biogás na mobilidade urbana

Operado pelo CIBiogás, o Posto de Biometano da UD ITAIPU da Itaipu Binacional está em operação desde 2017 (Crédito: Josemar Gouveia)

A demonstração do ônibus a gás na cidade de Foz do Iguaçu reforça a vocação do Brasil para a utilização de combustíveis renováveis e fortalece que há soluções viáveis e reais disponíveis aqui e agora. Tanto em potencial de produção do biometano como na oferta de veículos comerciais, caminhões e ônibus, produzidos no Brasil. 

Para Gustavo Bonini, diretor institucional da Scania Latin America, o futuro não será apenas elétrico, mas sim eclético e o uso de combustíveis alternativos ou a eletrificação dependerá da vocação e da solução disponível em cada mercado. Desde que a iniciativa faça sentido do ponto de vista ambiental, social e financeiro.

 “Há uma grande oportunidade para avançarmos no desenvolvimento sustentável, mas precisamos fortalecer toda a cadeia de transporte por meio de investimentos em infraestrutura e em uma matriz energética que seja diversificada, e neste sentido o gás se coloca como uma ótima opção para as cidades brasileiras”.

Adelio Demeterko, diretor executivo da Cataratas S.A, conta que utilizar o ônibus movido a biometano, além de beneficiar o meio ambiente, reforça a importância de atitudes sustentáveis com a gestão inteligente de resíduos orgânicos.

 “Estimular o uso das energias renováveis é extremamente positivo e o uso do biometano trará muitos ganhos. Um deles é continuar inspirando nossos visitantes às boas práticas ambientais”, destaca. 

Sabe-se  que o Brasil tem um enorme potencial para o biometano através do tratamento de água e esgoto ou pelo uso de resíduos agrícolas. Capaz de transformar o cenário sustentável na conversão de um passivo ambiental em um ativo energético. 

Contribuições efetivas

Notamos que os fatos relatados acima sobre as oportunidades do biogás na mobilidade urbana, é uma iniciativa positiva em diversos aspectos, nada mais claro do que destacar as contribuições desta alternativa no mercado automobilístico. Confira os pontos positivos desta escolha. 

  • Contribui na redução da emissão de combustíveis fósseis; 
  • Estimula a adesão em outros parâmetros tecnológicos que colaboram com o dia a dia do cidadão; 
  • Auxilia na gestão de RSO e RSU pelo grande volume de abastecimento; 
  • Modelos de veículos modernos que acolhem mais passageiros e reduz o fluxo no trânsito;

Capacite-se

Curtiu esse assunto e quer entrar no mercado do biogás? Então que tal investir no curso de Produção e Uso de Biometano? A oportunidade está com 40% de desconto na Black Friday. Aproveite! https://cibiogas.eadplataforma.com/curso/producao-e-uso-de-biometano/