O que é a biomassa? 

Se queremos produzir biogás, a biomassa tem que estar presente. Também conhecida como massa biológica, é um material constituído por substâncias de matéria orgânica, podendo ser de origem animal ou vegetal, como por exemplo: esterco, restos de alimentos, madeira, cana-de-açúcar, resíduos agrícolas, entre outros, que podem ser utilizados, através do biogás como fonte de energia elétrica, térmica e até veicular. 

Um aspecto importante da biomassa é de ser um recurso que se renova em curtos intervalos de tempo, por isso é designada como recurso renovável no planeta, ao contrário das fontes  fósseis de energia, como carvão mineral ou petróleo, os quais levam milhões de anos para se renovar, e por esta razão são designados como recursos não renováveis.

Considerada por muitos anos como um subproduto do agronegócio e de indústrias processadoras de alimentos e bebidas, incluindo centrais de abastecimento e distribuição de alimentos, a biomassa é usualmente descartada por estes players em estações de tratamentos de efluentes, de esgoto e aterros sanitários. Essa realidade aos poucos está mudando, com estes mesmos players entendendo que este subproduto na realidade é um ativo energético que pode ser reaproveitado, gerando uma economia considerável no processo como um todo.

Como a biomassa se renova?

A renovação da biomassa ocorre através do ciclo do carbono, ou seja, a queima da biomassa provoca a liberação de gás carbônico (CO2) na atmosfera. Através da fotossíntese, as plantas  absorvem esse gás e transformam em hidrato de carbono, liberando então o oxigênio. Esse processo de renovação faz com que a biomassa, se usada de forma correta, não altera a composição da atmosfera ao longo do tempo. 

Uma das vantagens em se realizar o tratamento e transformação da biomassa para a produção do biogás, é a redução das emissões de dióxido de carbono na atmosfera, o principal gás causador do efeito estufa (GEE), devido à possibilidade de combustão do biogás. E por esta razão, o biogás é uma peça estratégica e de grande importância para o desenvolvimento do mercado de baixo carbono.

Utilização

A biomassa é fonte de energia fundamental para a produção de diversos biocombustíveis, como por exemplo o bio-óleo, biodiesel, BTL (Biomass To Liquid), etanol,  e o biogás, sendo uma das principais formas de aproveitamento da biomassa como uma alternativa abundante de energia. A formação do biogás acontece durante a decomposição da matéria orgânica, através de microorganismos, o que ocorre em ambientes sem oxigênio, sendo necessária a instalação de um biodigestor, que vai propiciar o ambiente adequado. 

O biogás pode ser utilizado no funcionamento de geradores e motogeradores, além de prover energia térmica e ser transformado em combustível veicular.  Os resíduos que sobram, uma substância denominada “digestato”, pode ser utilizada também como fertilizante natural. Essas ações tornam a utilização da  biomassa um complemento perfeito da auto sustentabilidade.

Ao produzir esses combustíveis e calor, consequentemente, pode ser produzida então a eletricidade, alimentando diversas termelétricas e beneficiando esse setor.

Biomassa e biogás

Vantagens como fonte energética

Uma vez que as plantas podem ser plantadas e replantadas, a biomassa se renova, e em seu processo de produção, a quantidade de CO2 gerada é suficiente para que as plantas absorvam durante a fotossíntese. Dessa forma, o uso adequado dessa fonte de energia, não altera a composição média da atmosfera ao longo do tempo, diminuindo o efeito estufa e o aquecimento global.

Além disso, o uso da biomassa para geração de biogás oferece um baixo custo na produção de energia. A matéria também temm capacidade de renovação da matéria-prima e pode ser menos poluente que as demais fontes de energia.

Essas novas fontes de energia representam uma saída econômica significativa, e têm um grande impacto no desenvolvimento de novas matrizes energéticas, além de contribuir na minimização do esgotamento das fontes não renováveis, mesmo não substituindo outras fontes tradicionais que são usadas atualmente.

A biomassa no Brasil

Tanto no Brasil como no mundo, o uso da biomassa para geração de energia surgiu nos primórdios da humanidade, através da queima de madeira (fogo).

Com o passar do tempo alguns empreendimentos brasileiros marcaram o uso da biomassa no setor de transportes. No período da crise da Primeira Guerra Mundial, compostos de álcool, éter etílico e óleo de mamona foram substitutos da gasolina, obtendo um relativo sucesso.

Em 1931, a mistura do álcool na gasolina, permitiu ao país uma melhora nos rendimentos dos motores de explosão de forma segura e limpa. Já na década de 70, o programa Proálcool marcou a opção do álcool carburante como alternativa ao uso da gasolina. Até o os dias de hoje o programa sobrevive, especialmente com a recente oferta dos carros fabricados com tecnologia dos motores bicombustível. 

Entretanto, o país não se limita apenas ao setor de transportes, utilizando da biomassa também para a produção de energia elétrica, alcançando cada vez mais avanços e benefícios nos mais diversos setores. Atualmente, a maior parte da energia consumida no Brasil é proveniente de fontes renováveis como a hidroeletricidade e a biomassa.

Gostou desse tema e deseja fazer parte do desenvolvimento desse mercado? 

Entre em contato conosco, o CIBiogás oferece cursos e treinamentos, que buscam trazer conhecimento técnico de uma forma didática para os profissionais que queiram atuar direta ou indiretamente na cadeia produtiva desse biocombustível, que cada vez mais vem ganhando destaque no Brasil e no mundo.

 

Escrito por: Valquíria Oliveira

Revisão Técnica: Eng. Thiago Lopez