Dentro os assuntos, metas do Programa Paraná Energias Renováveis foram citadas; o Paraná quer 8 mil unidades geradoras de biogás até 2030. Linhas de crédito e chamadas públicas também estão nos planos do Estado

Reunir entidades multidisciplinares para debater desafios, futuro e avanços do setor do biogás, este foi o propósito do workshop realizado pelo Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás) para associados na última semana. O encontro  virtual contou com 40 participantes, entre eles representantes da Itaipu Binacional, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná/IAPAR/EMATER), Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná (SEAB) e Instituto SENAI de Tecnologia em Petróleo, Gás e Energia.

Além do debate de pautas relevantes à cadeia produtiva do biogás, a integração entre os associados oportunizou a apresentação de projetos, cases e soluções aplicadas ao biogás e biometano no Brasil. “Identificamos novos gargalos e possível conjunção de atuação entre eles, estreitando ações comerciais e mercadológicas dos presentes”, conta Rafael González, diretor-presidente do CIBiogás, que reforçou o propósito do associativismo:  “o grupo associativo fortalece a cadeia produtiva do biogás, uma vez que o caráter multidisciplinar enriquece os debates. Estiveram presentes membros da CHP Brasil, MDCPAR, Enerdimbo, UBE, 3Di Engenharia, Leão Energia, FAEP, Eletrobrás CEPEL, COPEL, Compagás, Igás e gestores do CIBiogás.

“Biogás vai viralizar”

Márcio Bortolini, Assistente do Diretor de Coordenação na Itaipu Binacional e presidente do Conselho de Administração do CIBiogás, reforçou o papel do Centro como agente de defesa do biogás e que a Itaipu Binacional tem extremo interesse em contribuir para o desenvolvimento das energias renováveis com aterros, produzindo biometano e também com o Hidrogênio Verde, outra fonte de energia limpa e com grande potencial no Brasil. “Conhecemos a necessidade da nossa região e conhecemos o resultado ambiental positivo que o biogás pode gerar”, enfatiza. Bortolini mencionou a expansão da energia solar no Brasil e diz acreditar num movimento semelhante com o biogás – “o biogás vai viralizar”. 

Novidades para o biogás

O engenheiro agrônomo do IDR – Assistente Técnico de Energias Renováveis e Coordenador do Programa Paraná Energias Renováveis, Herlon Goelzer de Almeida, falou em nome da SEAB e relatou que o estado paranaense tem cerca de 150 mil propriedades rurais focadas na criação de proteína animal (piscicultura, suíno/bovinocultura e avicultura), 80 mil tem volume de produção comercial. Segundo Almeida, o objetivo do governo do Estado é estimular a geração própria de energia nas propriedades rurais e agroindustriais. 

integração entre agentes do biogás

Produção de suínos em Entre Rios do Oeste (PR)

“A meta do Paraná é termos 8 mil unidades geradoras de biogás/biometano até 2030. Queremos alavancar R$1,8 bilhões em crédito rural para melhorar o desempenho das cadeias produtivas de proteína animal”, revela. “Vamos usar o crédito rural para alavancar, equalizando as taxas de juros. Ou seja, o Estado irá assumir a diferença das taxas de juros e tornar os financiamentos mais baratos para quem adotar energia renovável”. Segundo Herlon, o governo do Paraná tem muita expectativa para o avanço do biogás e espera que os produtores e agroindústrias adotem as energias renováveis. “O encarecimento atual da energia mostra que valerá a pena a produção descentralizada de energia e o biogás favorece isso”, afirma. 

Além das metas, o coordenador apresentou novidades a respeito das ações previstas para as energias renováveis no Paraná, como a capacitação de técnicos sobre o biogás, ação conjunta da Embrapa Suínos e Aves e CIBiogás. Herlon conta que 152 técnicos já receberam treinamento – “para junho mais 150 quadros técnicos do estado também irão se capacitar”. O coordenador informou que o IDR-PR realizará em breve duas chamadas públicas, uma delas irá credenciar empresas integradoras de soluções em biogás/biometano. Sem data divulgada ainda para início das atividades, Herlon assegurou que a expectativa do Governador Carlos Massa Ratinho Junior é lançar o programa brevemente. 

O CIBiogás

Considerado uma Instituição de Ciência e Tecnologia, em formato de associação, dedicada ao desenvolvimento do biogás como recurso energético limpo e competitivo, o CIBiogás tem o objetivo de promover o mercado de energias renováveis. Com  33 associados e com sede em Foz do Iguaçu (PR), o CIBiogás está há 8 anos no mercado, atuando em projetos de P&D, com parcerias públicas e privadas. Na competência de centro de referência, realiza análises laboratoriais de substratos, serviços de inteligência de mercado focado no setor e assessorias técnico-regulatórias, deste modo, contribui para o destaque dos desafios e oportunidades relacionados ao mercado, incluindo análise do ambiente regulatório e tomada de decisão. O CIBiogás tem o 1º Laboratório de Biogás no Brasil acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro – CGCRE na norma ISO 17025:2017, para o ensaio de Potencial Bioquímico de Metano.

Contato para imprensa / agendamento de entrevistas

Renata Thomazi: [email protected] 

Liege Souza: [email protected]