A atuação do CIBiogás na iniciativa envolve o incentivo à inovação junto às instituições sem fins lucrativos, por meio do lançamento de 3 editais de seleção de projetos de P&D 

Na intenção de contribuir com a evolução das iniciativas voltadas ao hidrogênio no Brasil, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro (AHK Rio), o Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás) e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), irão desenvolver um Programa de Inovação pertinentes em Hidrogênio Verde. No dia 15 de março, as instituições encontraram-se nas dependências do Parque Tecnológico Itaipu para assinar o contrato que oficializa a parceria entre as empresas e assim, prosseguir com a Promoção da Inovação do Programa de Hidrogênio Verde e Power to X no Brasil.

O Programa, promovido pela AHK RIO será executado pelo CIBiogás e PTI no período de 2022-2023 e possui duas frentes de atuação, uma voltada para incentivo da inovação aberta por entusiastas na cadeia do H2V e outra para o financiamento de projetos de P&D em instituições sem fins lucrativos. O Programa será realizado em 3 ciclos que correspondem a quatro fases, sendo elas: sensibilização de entusiastas; capacitação dos selecionados; aceleração das melhores propostas de inovação e a seleção e financiamento de projetos de P&D. Com isso, o programa pretende impulsionar as iniciativas de descarbonização e focar na transição energética, juntamente com propostas inovadoras sobre o hidrogênio verde no Brasil e a geração, distribuição e aplicação da alternativa. 

O diretor-presidente do CIBiogás, Rafael González, afirma que a iniciativa é um grande passo para o desenvolvimento de novas tecnologias voltados para o mercado de energias renováveis, uma vez que o hidrogênio é uma fonte com fator de descarbonização expressivo. 

O CIBiogás estrutura o planejamento estratégico com foco no desenvolvimento do mercado de energias renováveis no país. Entendemos que o desenvolvimento da cadeia produtiva do hidrogênio é fundamental para a economia de transição energética que o mundo discute hoje. Tendo em vista a trilha que percorremos até o momento para viabilizar o biometano e que o domínio do metano está na rota do hidrogênio, acreditamos que podemos somar esforços para que o H ganhe mais relevância e força no mercado brasileiro em parceria com as experiências alemãs.

Pioneirismo 

O CIBiogás já vem lidando com a pauta hidrogênio há algum tempo, devido à expertise que a equipe carrega no auxílio a propostas inovadoras e visando sempre a modernização da cadeia do hidrogênio e o desenvolvimento de novos processos, todos voltados à democratização de energia e promoção de novas oportunidades. 

Em cooperação com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2021 foi firmada entre o PTI e o CIBiogás uma parceria que busca integrar o movimento de desenvolvimento da cadeia Power to X no Brasil e pretende viabilizar tecnologias que utilizem o biogás como principal matéria-prima para a produção de hidrogênio verde e hidrocarbonetos renováveis importantes para a economia brasileira, como o diesel e o bioquerosene de aviação. 

Além de contribuir com a redução da emissão de gases poluentes, a oferta desses produtos renováveis enriquece a diversificação do portfólio do biogás, além de fortalecer ainda mais a ampliação da cadeia deste energético no território nacional e oportunizar a abertura de novos mercados. O Parque Tecnológico Itaipu, que desenvolve pesquisas sobre a fonte há mais de 10 anos, também é protagonista na união das entidades que apoiam o incentivo de novas ações voltadas à alternativa de energia. 

A articulação de instituições de forma integrada, eleva a qualidade de pesquisas sobre o desenvolvimento de Hidrogênio Verde no Brasil. A afirmação é do diretor de Negócios e Inovação do Parque Tecnológico Itaipu, Rodrigo Regis. “O País tem muito a ganhar com a criação de uma cadeia produtiva de hidrogênio, que demanda bastante tecnologia e mão de obra capacitada, e o pontapé inicial é pesquisando sobre o assunto, mas também levando-o ao mercado”.

Confiança e apoio ao hidrogênio

O governo alemão já vem incentivando o desenvolvimento de projetos desta temática no Brasil, visto que 60% das empresas que trabalham com hidrogênio na Alemanha tem subsidiárias brasileiras, segundo o portal Hidrogênio Verde da Aliança Brasil-Alemanha. Desta forma, o programa surge com o objetivo de transformar o ecossistema do hidrogênio no Brasil com ideias disruptivas e que motivem a sustentabilidade de processos e da matriz energética a partir da inovação. 

Ansgar Pinkowski, Gerente de Inovação e Sustentabilidade na Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro – AHK-Rio, relata que ao longo da seleção das empresas, foi observado que o Brasil tem acesso a alta tecnologia para desenvolver o hidrogênio verde e que para a Alemanha, atualmente, o país representa uma escolha estratégica, visto que além do hidrogênio verde, há também uma grande capacidade para gerar oportunidades a partir da energia solar, energia eólica e biomassa.

Essa cooperação energética entre Brasil e Alemanha é de longa data, então já estávamos muito focados nos temas de eficiência energética, energias renováveis, e adicionar agora o tema do hidrogênio, que tem uma presença muito forte dentro desse assunto, foi um processo natural da AHK-Rio e demais parceiros.

O diretor do CIBiogás, Rafael González, reforça a participação das entidades que acreditam no vetor renovável presente nas iniciativas com hidrogênio e focadas no desenvolvimento da cadeia.

Trabalhamos em conjunto com diversas entidades que se preocupam com a evolução desses recursos. Com a Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu e outros associados, membros do CIBiogás, pretendemos fortalecer o ecossistema para atender a cadeia das energias renováveis do Brasil, desta vez, com a parceria da AHK-Rio, de forma transformadora, e totalmente aberta à novas ideias e utilizando a nossa expertise no ramo. 

Agenda

Na vinda ao Parque, a equipe da AHK-Rio teve a oportunidade de conhecer os projetos focados em hidrogênio que o CIBiogás, Itaipu Binacional e Parque Tecnológico Itaipu (PTI) desenvolvem em conjunto. Além disso, a agenda dos visitantes também incluiu uma visita técnica à Usina; ao escritório e Laboratório de Biogás, do CIBiogás; à planta piloto de produção de hidrogênio; ao Centro de Energias Renováveis – ER.DT e ao Centro Automação e Simulação de Sistemas Elétricos – AS.DT, localizados no complexo em Foz do Iguaçu (PR). 

biogás

Imagem 2: Time da AHK Rio na visita técnica à Usina de Itaipu. (Créditos: CIBiogás / Liege Reis)

Inscrições no Programa

Para participar da categoria Entusiastas não é necessário ser de qualquer ação de startup ou projeto, basta estar disposto a elaborar ideias inovadoras e que sejam executáveis dentro da temática hidrogênio. A categoria sem fins lucrativos, são elegíveis Pesquisadores que atuam na cadeia de H2 verde vinculados a ICTs sem fins lucrativos. 

As inscrições do Programa  já estão abertas e você pode submeter o seu projeto até o dia 22/04/2022, por meio do Portal Hidrogênio Verde:

Acesse: https://www.h2verdebrasil.com.br/programa-de-inovacao-em-hidrogenio-verde/ 

Imagem: Ansgar Pinkowski (AHK Rio), Rafael González (CIBiogas), General Eduardo Garrido (PTI) e Rodrigo Régis Galvão (PTI) após assinatura do contrato para o Programa de Hidrogênio Verde (Imagem: Kiko Sierich – PTI)

Acompanhe o CIBiogás:

Instagram: www.instagram.com/cibiogasoficial 
Facebook: www.facebook.com/cibiogas
LinkedIn: www.linkedin.com/company/cibiogasoficial 

YouTube: https://www.youtube.com/c/CIBiogas