Fornecedores da cadeia de biogás são o foco da vez  

Que tal uma série de webinares falando sobre Negócios para Fornecedores da Cadeia de Biogás? Já que a intenção é incentivar e fomentar os prestadores de serviço que trabalham com biogás, o Centro Internacional de Energias Renováveis – CIBiogás, promoveu as conferências com parceiros, justamente para trazer em debate assuntos estratégicos e de interesse do segmento. As transmissões foram realizadas nos dias 22, 23 e 24 de abril no Youtube. Como resultado, você confere um “resumão” dos três dias e depois da leitura você pode conferir os vídeos na íntegra no nosso canal do Youtube: CIBiogás

Os temas tratados foram:

  • Apresentação em primeira mão da Nota Técnica sobre o Panorama do Biogás no Brasil em 2019;
  • As principais tendências de projetos de biogás para geração energia elétrica; 
  • Dia 3 – Biometano e o novo mercado de gás no Brasil.

Ao todo foram 4 horas de conteúdo inédito e ao longo dos três dias mais de 500 pessoas prestigiaram o conteúdo ao vivo. A audiência participou enviando comentários e dúvidas aos conferencistas.

DIA 1 – Lançamento Nota Técnica: Panorama do Biogás no Brasil em 2019 (22/04/2020)

Para você que é fornecedor da cadeia de biogás, ter dados atualizados sobre o cenário nacional de plantas em operação, com as aplicações energéticas e geolocalização é fundamental para você criar estratégias inteligentes para o seu negócio.

Pensando nisso, os nossos especialistas do CIBiogás receberam convidados especiais da Associação Brasileira de Biogás – ABiogás e do projeto GEF Biogás Brasil da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO), justamente para apresentar a você e em primeira mão a Nota Técnica: Panorama do Biogás no Brasil em 2019.

O estudo traz os principais resultados da atualização do número de plantas em operação, implantação e reforma/reformulação que fizeram uso energético do biogás até o ano passado e que tenham fins econômicos. 

Afinal, compreendemos que compartilhar informações que possam auxiliar no planejamento e no crescimento do setor de biogás no Brasil, é fundamental. De tal forma que, a partir destes dados, seja possível analisar o desenvolvimento, criar estratégias de mercado e visualizar as oportunidades que estão sendo geradas no país a partir do biogás.

 

Biogás no Brasil

No 1° dia da conferência virtual participaram: Daiana Gotardo Martinez, analista de informações de biogás  no CIBiogás e na UNIDO, Tamar Roitman, gerente executiva da ABiogás e Victor Ferreira, analista de dados UNIDO e do projeto GEF Biogás no Brasil.  

Os palestrantes destacaram a contribuição da ferramenta BiogasMap  com dados atualizados da Nota Técnica para o desenvolvimento da cadeia do biogás. Em seguida debateram os resultados, parâmetros e principais tendências do mercado do biogás no Brasil. Para Daiana, as informações podem subsidiar o planejamento do setor de biogás.

 “A partir do levantamento é possível analisar o crescimento do segmento e visualizar as oportunidades que estão sendo geradas no país”. 

Daiana Gotardo

Até 2019 as plantas em operação no Brasil foram responsáveis por uma produção de 1,3 bi Nm³ de biogás por ano. É possível observar na imagem abaixo alguns dados das plantas de biogás no Brasil. Desde 2014 tem-se mapeado e observado o crescimento que representa o avanço e o interesse contínuo no setor. 

 

apresentacao que demonstra o numero de plantas de biogas no brasil em operacao e crescimento do setor

Dados oficiais da Nota Técnica – Panorama do Biogás no Brasil em 2019: plantas de biogás no Brasil

 

A novidade desta atualização é que pela primeira vez os pesquisadores conseguiram mapear a data real de início de operação de biogás de cada planta. 

 

“De 2018 a 2019 conseguimos observar um crescimento de 31% no número de plantas de

biogás em operação, isso mostra que o biogás está numa crescente”

Daiana Gotardo

 

Plantas de biogás: pequeno, médio e grande porte

Dentro do levantamento, foi analisado que das 521 plantas de biogás em operação, 78% são de pequeno porte e destas, 86% utilizam substratos da agropecuária. É possível ver que as plantas de porte médio representam 16% do total, de grande porte apenas 6%. 

 

imagem trazendo principais dados sobre plantas de biogás de pequeno, medio e grande porte no brasil e ultimos dados sobre o panorama do biogas no brasil em 2019

Dados oficiais da Nota Técnica – Panorama do Biogás no Brasil em 2019: plantas de pequeno, médio e grande porte no Brasil

 

Entretanto o maior volume de biogás produzido, 77% do total, provém das plantas de grande porte. Sabendo que a aplicação energética das plantas é dividida em energia elétrica, térmica, biometano (veicular) e energia mecânica (bombeamento de água), o incentivo para as produção em pequenas plantas é essencial para a viabilização da sua própria energia. 

Foram analisadas 439 plantas em operação, estas consomem 56% do volume de biogás produzido no Brasil e foi possível identificar que 84% utilizam o biogás para geração de energia elétrica. Como a maior parte do biogás está sendo utilizado para a energia elétrica, isso redireciona para a Resolução Normativa ANEEL n° 482/2012, que permitiu a Geração Distribuída pelo sistema de compensação de energia.

Daiana destaca a relevância do poder público no setor para o desenvolvimento de políticas públicas que dêem condições e possibilitem que aplicações de energia elétrica e veicular, como o biometano, sejam estimuladas. 

 

Fornecedores da cadeia de biogás: desafios

Dentro os desafios tecnológicos e de logística, a gerente executiva da Abiogás, Tamar Roitman, afirma que as redes de distribuição de gás e o custo para a purificação e produção do biometano demandam um investimento maior. Como resultado destes desafios, com o estudo foi possível identificar todavia um pequeno número de plantas que contam com refino do biogás para biometano. Portanto os resultados também contribuem para essa análise crítica estratégica, o que impacta diretamente no crescimento do setor. 

 

SOBRE O BiogasMap (Mapa do Biogás)

Para acompanhar o aproveitamento deste ativo energético no território brasileiro, foi criado o Biogasmap, ferramenta online, interativa e aberta ao público. Alimentada de forma colaborativa por múltiplas instituições, o Biogasmap permite consultar e emitir relatórios por estado, tipo de substrato e as diferentes aplicações do biogás. A ferramenta é atualizada anualmente com os resultados do Panorama do Biogás no Brasil. Para explorar a ferramenta, basta acessar: https://mapbiogas.cibiogas.org/ 

Tamar acredita que o Biogasmap pode apoiar na decisão estratégica de produtores rurais, investidores, líderes de empresas e também aos gestores públicos. “Com o estudo é possível comprovar a evolução do setor em termos de geração de emprego e renda, redução de impactos ambientais para que o poder público compreenda a relevância do biogás”, afirma. 

 

Biogás, energia firme e segura

Algumas propriedades ficam longos períodos sem energia elétrica e com isso os produtores podem sofrer prejuízos nas atividades produtivas. Nessas situações, o biogás acaba sendo uma alternativa de segurança energética com ótimo custo benefício, pois é uma fonte segura, firme, armazenável e registra alto fator de capacidade. 

Biogás e a sustentabilidade

O biogás não é apenas um ativo energético, existem outros benefícios à sua volta, sociais e ambientais. Os aterros sanitários e as usinas de cana por exemplo, são atividades com alternativas positivas para a produção e utilização do biogás, devido ao alto volume de biomassa disponível. 

“Esses resultados demonstram como está o setor de biogás. E vou além, o biogás não é apenas uma fonte de energia.

Ele tem muitos outros benefícios que não conseguimos precificar”

Tamar Roitman 

 

Classificação de Biogás por Estado

Número de plantas: O estudo apresentou a distribuição do número de plantas em operação por estado e Minas Gerais (MG) é o que se destaca em quantidade de unidades, com 196 plantas. Destas, 186 utilizam resíduos agropecuários. Em segundo lugar vem o Paraná  (PR) com 110 unidades.

 

Volume de biogás produzido

Mesmo que Minas Gerais tenha a maior concentração de plantas, a maioria delas são de pequeno porte e o volume total de biogás produzido acaba sendo inferior do que o estado de São Paulo produz. Os paulistanos reúnem uma maior quantidade de plantas de grande porte , fator que acaba dando esse destaque a região considerando o volume total produzido. Assim sendo, o volume de biogás de São Paulo é expressivo e representa 35% do total do Brasil. 

ranking de produçao de biogas no brasil volume de biogas e quantidade de plantas de biogas por estado minas gerais e estado de sao paulo se destacam

Dados oficiais da Nota Técnica – Panorama do Biogás no Brasil em 2019: ranking por estado em número de plantas
e volume total de biogás produzido. Minas Gerais (MG) e São Paulo (SP) se destacam

 

O Norte e o Nordeste começam a aparecer no mapeamento, demonstrando que o biogás está se espalhando por todo relatório nacional. O analista de dados Victor, acredita que os dados do Biogasmap atualizados podem reforçar ainda mais a inteligência para o setor. 

Sobre a importância do estudo Victor afirma que os dados detalhados permitem analisar sob diversas óticas, como exemplo – por região que tenha alto volume de produção agropecuária, mas que ainda não tem plantas de biogás. Outro exemplo são as regiões que têm o biogás bem desenvolvido e que as políticas públicas aplicadas com sucesso possam servir de referência para outros municípios. 

“No momento que dados novos entram no nosso conhecimento coletivo, dados antigos que já possuíssemos mas que talvez tivéssemos dificuldades na utilização começam a ganhar destaque muito grande. Nós desbloqueamos toda uma nova camada de inteligência de possibilidade para tomada de decisões que antigamente talvez ficasse um tanto quanto condensada a dados e dimensões pouco explorados”

Victor Ferreira

 

Aos fornecedores da cadeia de biogás: é importante compreender que  potencial de produção biogás tem muito a crescer em todas as frentes e segmentos, visando todos os tipos de substratos. A coleta de informações do Biogasmap ainda está em desenvolvimento e o apelo feito pelos especialistas está relacionado a contribuição que os fornecedores da cadeia podem realizar ao informar mais detalhes das plantas (exp: localização, tipo, volume) ao CIBiogás, ABiogás e ou ao GEF Biogás no Brasil. Deste modo, quanto mais informações coletadas, mais preciso se torna o nível de otimização de pesquisa acima daquilo.

“A gente precisa do apoio de todo o setor para que possamos manter esse estudo atualizado”

Daiana Gotardo

 

PARA BAIXAR O CONTEÚDO DA NOTA TÉCNICA ACESSE: Nota Técnica 02/2020 – Panorama do Biogás no Brasil em 2019

Quer conferir o conteúdo na íntegra? Assista o vídeo clicando aqui: Webinar – Panorama do biogás no Brasil

 

Dia 2 – Tendências de projetos de biogás para geração de  energia elétrica – (23/04/2020)

Para quem é prestador de serviços e fornecedor da cadeia de biogás a geração de energia elétrica é uma grande oportunidade a ser explorada. Por isso o assunto do Dia 2 foi as tendências deste mercado. 

Os projetos com energia elétrica registraram um crescimento expressivo nos últimos anos.  Um dos mecanismos que impulsionam esse crescimento é a Resolução Normativa n° 482/2012 que permite um sistema de compensação de energia elétrica. Logo, as modalidade permitidas por essa resolução estão o autoconsumo remoto, geração junto à carga, geração compartilha e empreendimentos com múltiplas unidades consumidoras, as chamadas EMUC’s. 

Na conversa, os palestrantes Natalí Nunes, engenheira eletricista do CIBiogás, Péricles Pinheiro, diretor de desenvolvimento de negócios da CHP Brasil e Thiago Olinda, gerente de desenvolvimento de negócios do CIBiogás, discutiram sobre o assunto e as modalidades mais aderentes aos projetos de biogás.

Sendo assim, a GD permitiu a entrada de pequenos geradores no mercado. Dessa forma, a valoração do ativo energético é permitida, proporcionando a inserção de empreendimentos que tratam adequadamente os dejetos de animais e trazem benefícios sociais, ambientais e econômicos para os produtores rurais, além da  segurança energética e melhora na qualidade de energia. 

 

Segurança energética: fundamental para o meio rural

A segurança energética é essencial para os produtores de biogás, mas também é  importante que o empreendimento proporcione ao produtor um benefício econômico. De acordo com os especialistas, os atributos envolvidos ao biogás como: a despachabilidade, o armazenamento e o atendimento no horário de ponta, são ramificações de uma GD firme.

Diante de todos essas especificidades, podemos afirmar que o biogás gera segurança energética, inclusive atuando na área rural, local onde há mais problemas com o suprimento de energia elétrica.

Quanto aos aspectos técnicos dessas unidades de geração a biogás, o diferencial dessa fonte é o dimensionamento. Plantas de biogás são dimensionadas, na maioria dos casos, pela oferta de dejetos disponíveis.  Assim, em alguns casos pode ter uma dificuldade entre o equilíbrio de oferta de energia e demanda ou consumo da propriedade. 

Por isso, muitas vezes para viabilizar projetos é necessário entrar na modalidades com mais de uma unidade consumidora, como é o caso do autoconsumo remoto ou geração compartilhada.

Biodigestor em propriedade rural que produz biogas e usa para geracao de energia eletrica

Biodigestor em propriedade rural que produz o biogás para geração de energia elétrica: Granja São Pedro, em São Miguel do Iguaçu (PR) (Crédito: CIBiogás) 

 

Quer conferir o conteúdo do DIA 2 na íntegra? Assista o vídeo clicando aqui: Webinar – Tendências de projetos de Biogás para Geração de Energia Elétrica

 

Dia 3 – Fornecedores da cadeia de biogás:  Biometano e novo mercado de gás (24/04/2020)

O Biometano e o Novo Mercado de Gás entraram em pauta em uma apresentação de alto nível com a associada FGV Energia. Foram destacadas as novas oportunidades de negócios após o acordo com o CADE de descontinuidade da Petrobras nos negócios de transporte e distribuição do gás natural em todo o Brasil. 

As expectativas de desenvolvimento e abertura de mercado evoluíram com o lançamento do Novo Mercado de Gás e foi sobre isso que a Dra. Fernanda Delgado, FGV Energia, discutiu e respondeu diversas perguntas da audiência. 

A reabertura do setor de óleo e gás incluiu novamente debates para diagnosticar medidas mais liberalizantes de mercado. Alguns exemplos de conquistas:  Programa de Desinvestimentos da Petrobras, política de Transparência na Formação de Preços de Combustíveis, criação do Consumidor Livre de Gás, indicação de nomes “pró mercado” para cargos na Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) dentre outras iniciativas que vieram do programa Gás para Crescer do MME em 2016. 

Com o Novo Mercado de Gás, programa estratégico do Governo Federal para reduzir o preço da molécula do gás, dar sequência ao programa Gás para Crescer e ultimamente aumentar o PIB industrial.

Iniciou-se uma nova fase para o biometano, uma vez que o programa integra o setor de gás com os setores de energia elétrica e industrial.

apresentacao da concepcao do novo mercado de gas no brasil material do ministerio de minas e energia

Apresentação sobre o Novo Mercado de  Gás no Brasil – concepção (Reprodução: Ministério de Minas e Energia  – MME)

Desde 2015 a Resolução n° 8 da ANP confirma que o biometano deve ser tratado de forma análoga ao gás natural, desde de que a qualidade do gás cumpra com os pré-requisitos tabelados.

Deste modo, para avaliar o potencial da molécula através de uma ótica energética, contamos com a apresentação de Nícolas Berhorst, analista de mercado de biogás da UNIDO. O economista acredita que para os fornecedores da cadeia do biogás, esta oportunidade é valiosa e contribui com detalhes sobre a complementaridade do biometano ao gás natural e comparação do up- e downflow dos dois energéticos. 

apresentacao sobre as possibilidades do biometano no brasil novo mercado de gas nacional credito cibiogas

Parte da apresentação sobre as possibilidades de aplicação do Biometano. (Crédito: CIBiogás) 

Visto que o biometano e gás natural foram avaliados e comparados de acordo com:

  • densidade energética;
  • transportabilidade;
  • armazenabilidade;
  • eficiência de combustão;
  • conveniência;
  • emissões;
  • flexibilidade de uso;
  • confiabilidade;
  • durabilidade de estoque. 

Nícolas demonstrou que o biometano e gás natural pontuaram muito bem em todos os itens, salvo no quesito densidade energética. Contudo, a molécula pode ser pressurizada até a liquefação (GNL), o que pode resolver o problema. Para o GNL, Fernanda comentou sobre projetos de GNL ancorados em usinas termelétricas, como o da CELSE, e 6 novos terminais de GNL sendo construídos e outros 13 em licenciamento ambiental. Para se ter uma idéia, o Brasil (Petrobras) possui hoje apenas 3 terminais de GNL construídos. 

Quer conferir o conteúdo do DIA 3 na íntegra? Assista o vídeo clicando aqui: Webinar – Biometano e novo mercado de gás

Assim, encerramos este conteúdo, acreditando que os fornecedores da cadeia de biogás no Brasil possam se valer do conteúdo para aprimorar estratégias de mercado. Gostou do conteúdo? O que você gostaria de ver por aqui? Sugestões e comentários encaminhar para: [email protected]

Conheça também as nossas redes sociais: Facebook, Instagram e LinkedIn