Buscar formas de reforçar e diversificar o acesso à energia elétrica nas pequenas comunidades rurais, proporcionando, assim, melhores condições de produção e qualidade de vida aos moradores. Este foi o foco do seminário “Eletrificação Rural: Desafios Urgentes”, promovido na manhã desta quinta-feira (29) pela Comissão de Agricultura e Política Rural e que reuniu na Assembleia Legislativa lideranças políticas dos três estados do sul, representantes de cooperativas e de entidades de classe.

De acordo com o deputado Natalino Lázare (PR), que preside a comissão de Agricultura, as redes elétricas monofásicas limitam o crescimento das propriedades rurais ao impossibilitar a utilização dos equipamentos agrícolas que exigem altas tensões. Outro problema frequentemente repassado pelos produtores rurais, disse, são as constantes quedas de energia, que ocasionam prejuízos para o setor, como queima de equipamentos e a perda de perecíveis. Para o parlamentar, a modernização das redes elétricas rurais é fundamental para o desenvolvimento do setor agrícola e também para a manutenção dos jovens no campo.

Diante das dificuldades apresentadas, o gerente do Núcleo de Relações Institucionais do CIBiogás, Marcelo Alves de Sousa, apresentou a geração de energia com a produção de biogás como alternativa para garantir o desenvolvimento do agronegócio na região Sul do país, principalmente em Santa Catarina. “É uma solução que atende à necessidade de garantir a segurança energética do produtor rural, além de solucionar o problema do passivo ambiental, que proporciona o aumento do número dos animais confinados”, acrescentou.

Propostas

As principais propostas, apresentadas durante o seminário, serão reunidas em uma carta direcionada ao Congresso Nacional e às concessionárias de energia para viabilizar o prosseguimento das soluções. Entre os pedidos está a inclusão de novos incentivos e fomentos para a produção de biogás. As solicitações devem incluir ainda pedidos como melhorias nas redes de distribuição nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul nas áreas rurais.

O secretário-adjunto de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, declarou que a melhoria das redes elétricas já vem sendo discutida pelo governo há algum tempo, sendo encarada como fator primordial para o futuro do agronegócio local. “Esse debate é topo de agenda nas nossas prioridades. Ainda ontem discutimos a agricultura para 2030 e concluímos que sem resolver a questão da energia não vamos conseguir um desenvolvimento sustentável para o nosso estado. Estamos perdendo os jovens e empreendedores rurais porque muitas vezes falta uma coisa básica como energia, internet ou de uma estrada de qualidade”, disse.

FOTO: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

(Com informações da Agência AL)

 

Resumo: 

Uso do biogás para geração de energia foi proposta apresentada para garantir a segurança energética e o desenvolvimento do agronegócio