O processo de produção de biogás, que transforma resíduos orgânicos como dejetos de suínos ou restos de alimentos em energia, costuma despertar a curiosidade de todos. Com a mente aguçada pela criatividade, cerca de 150 alunos da Escola Municipal Presidente Médici de Entre Rios do Oeste desvendarem os mistérios da geração de energia com biogás durante dois dias de visitas técnicas na Unidade de Produção de Biogás Cerâmica Stein.

 A ação educacional foi desenvolvida pelo Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás (CIBiogás), com o apoio da Prefeitura Municipal de Entre Rios do Oeste e da indústria Stein. As quatro turmas formadas por alunos entre 8 e 10 anos foram atendidas em diferentes grupos na segunda-feira (7) e na terça-feira (8). O principal objetivo é mostrar que existem alternativas sustentáveis e viáveis para a destinação correta de dejetos de suínos.

De forma lúdica, o engenheiro ambiental do CIBiogás, Luis Thiago Lucio, coordenou às visitas e esclareceu as dúvidas dos pequenos. “A alegria estampada nos olhos das crianças, todas movidas pela curiosidade de aprender mais sobre “as energias renováveis”, sem dúvida, tornou este trabalho muito gratificante”, relata.

Para o estudante Gean Lucas Back Frantz de 10 anos a visita foi muito esclarecedora. “Reaproveita muitas coisas, não polui a natureza e gera eletricidade. É uma coisa muito boa”, concluiu sobre o uso do biogás. O professor de História e Geografia da Escola Municipal, Valmir Grutzmann, conta que ver na prática enriquece o conhecimento adquirido em sala de aula. “Foi muito interessante, principalmente porque foi possível ver todo o processo na prática desde a criação dos suínos até o funcionamento do gerador”.

Grande potencial

Conhecer a aplicação e as possibilidades de uso dessa energia renovável é fundamental no município que tem 4,4 mil habitantes e um grande potencial de produção de biogás, com 150 mil suínos.  “É uma satisfação muito grande ver a curiosidade das crianças sobre um tema tão importante, também é uma forma de plantarmos uma semente para um futuro melhor”, acrescentou o   proprietário da Cerâmica Stein, Romário Schaefer.

A assessora pedagógica da escola, Lucia Barcellos Weschenfelder, explica que a temática do biogás tem sido trabalhada com todos os estudantes. “Como o município já tem um projeto de biogás em andamento, achamos importante trabalhar esse tema na escola também. O projeto de produção de biogás envolvendo 19 produtores rurais do município é desenvolvido em parceria entre Copel, Aneel, Prefeitura do Município, Parque Tecnológico Itaipu e CIBiogás.  

Biogás para indústria

A primeira tentativa de uso do biogás para gerar energia na Cerâmica Stein ocorreu há quase 20 anos, na época a motivação foi a dificuldade para encontrar lenha, necessária na produção de cerâmica “Vi que era possível substituir a lenha pelo gás e, então, construí a granja”, conta Romário Schaefer.  A falta de acompanhamento técnico especializado, entretanto, dificultou a implantação do projeto que não teve continuidade.

Em 2012, após a compra de novos equipamentos que aumentaram a demanda por energia elétrica, Romário viu novamente no biogás uma oportunidade para aumentar a competitividade e reduzir custos na indústria de cerâmica. A inspiração veio do Projeto Condomínio de Agroenergia Ajuricaba, implantado com o apoio do CIBiogás e da Itaipu Binacional, em Marechal Cândido Rondon (PR). Com o acompanhamento de profissionais qualificados, o projeto começou a rodar já em 2013. “De lá para cá a geração de energia com biogás está funcionando, fomos melhorando e hoje o sistema está 100%”, conta Romário.

 Atualmente, o uso da energia elétrica gerada com os dejetos dos três mil suínos da granja reduz em 50% os custos energéticos da fábrica. “Essa economia que temos foi um dos pilares para passarmos pela crise econômica que o país enfrenta”, relata o proprietário. Além de reduzir custos, ele aponta que os problemas com quedas de energia, antes frequentes principalmente porque a indústria não está em uma área urbana, foram solucionados.

O que é biogás?

Durante os encontros os estudantes aprenderam que o biogás é uma mistura de gases composta principalmente por metano e dióxido de carbono, obtida normalmente através do tratamento de resíduos domésticos, agropecuários e industriais, por meio de processo de biodegradação anaeróbia, ou seja, na ausência de oxigênio. Com o biogás é possível gerar elétrica e térmica, além de biocombustível (biometano). O processo resulta também na produção de biofertilizante.

Fotos: Patrícia Porto / Prefeitura Municipal de Entre Rios do Oeste

Marcos Labanca / CIBiogás

Resumo: 

 A ação educacional foi desenvolvida pelo Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás (CIBiogás), com o apoio da Prefeitura Municipal de Entre Rios do Oeste e da indústria Stein. As quatro turmas formadas por alunos entre 8 e 10 anos foram atendidas em diferentes grupos na segunda-feira (7) e na terça-feira (8).