As associações do Grupo Cataratas, da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC) e da Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (Sulgás) ao Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás (CIBiogás) foram aprovadas por unanimidade, durante Assembleia Extraordinária realizada nesta quarta-feira (27) no Espaço Milton Santos no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu (PR).

Com a entrada dos novos associados, o CIBiogás passa a ser composto por 20 instituições que desenvolvem e/ou apoiam projetos relacionados às energias renováveis. De acordo com o diretor presidente do Centro, Rodrigo Régis, a inclusão das instituições reforça o compromisso nacional com o desenvolvimento sustentável. “Isso mostra que estamos no caminho certo, que o uso do biogás no Brasil avançou e , hoje, está em outro patamar”, afirmou.

As diferentes áreas e regiões de atuação dos novos associados refletem a expansão do interesse no uso de energias renováveis. Entre os novos associados está o Grupo Cataratas. A principal concessionária de serviços de turismo sustentável no Brasil atua, entre outros atrativos, nos Parques Nacionais do Iguaçu em Foz do Iguaçu, da Tijuca no Rio de Janeiro (RJ) e no Marinho em Fernando de Noronha (PE).

Também passa a deliberar sobre os projetos do CIBiogás, a Sulgás, companhia responsável pela comercialização e distribuição de gás natural canalizado no Rio Grande do Sul, além da FTC, instituição que oferece opções de graduação e pós-graduação em todas as áreas do conhecimento na Bahia. Durante a reunião ainda foram eleitos os novos Conselhos de Administração e Fiscal, responsáveis pela análises periódicas dos avanços da instituição.

Investimento e desenvolvimento

Para garantir o avanço do biogás no Brasil, o CIBiogás tem atuado de maneira estratégica na promoção de novos projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Os projetos captados na área de energias renováveis, entre 2014 e 2016, devem injetar mais de R$ 30 milhões na economia local nos próximos anos. No mesmo período, os investimentos relativos ao convênio da Itaipu Binacional para consolidação do uso do biogás no Brasil totalizaram R$ 15 milhões. “Para cada real investido pela Itaipu Binacional temos o dobro de retorno com novos projetos”, explica Régis.

O superintendente de Energias Renováveis da Itaipu Binacional, Paulo Schmidt, reforça a assertividade da hidrelétrica ao apostar no segmento, possibilitando a criação do CIBiogás como órgão técnico de referência para o desenvolvimento do biogás. “A Itaipu foi visionária, principalmente em relação às questões ambientais que foi o grande mote inicial de desenvolvimento das políticas públicas do biogás, mas sempre entendendo que, por conta dessa iniciativa, nós teríamos o desenvolvimento de uma nova atividade econômica na região”, afirmou.

 

Resumo: 

Centro é formado por 20 instituições que desenvolvem e apoiam projetos relacionados às energias renováveis