As membranas poliméricas vieram para potencializar ainda mais o setor do biogás, e nós podemos te provar isso! 

Devido ao grande consumo de combustíveis poluentes e não renováveis como os combustíveis fósseis em todo o mundo, o biogás e as tecnologias de seus processos surgem para transformar o cenário ambiental global. O objetivo principal é a redução dos passivos ambientais e principalmente a redução da emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE). 

O resultado  da digestão anaeróbia da biomassa é o biogás e o digestato (lodo), mas para que especificamente o biogás possa ser utilizado como fonte energética na sua potencialidade, ele precisa passar por um sistema de purificação. O processo aumenta o seu potencial como fonte de energia térmica, elétrica e principalmente veicular, para obter o biometano, além de: 

  • Preservar a vida útil dos equipamentos – motogeradores, motores automotivos, caldeiras e tubulações, por exemplo;
  • Valorizar economicamente o biogás;

As tecnologias mais utilizados de refino do biogás são os métodos de Adsorção com Modulação de Pressão (PSA) e o Lavador de Gases com Catalisador – chamado Water Scrubbing.

Membrana polimérica e o biogás

Mas com a intenção de melhorar a capacidade energética do biogás, transformando-o em biometano, as tecnologias de purificação do biogás foram se modernizando, adquirindo processos tecnológicos mais avançados e provendo uma fonte renovável muito mais eficaz. Quanto ao sistema de purificação, o mercado industrial de tecnologias para a separação de gases, desenvolveram a membrana polimérica como um instrumento capaz de qualificar ainda mais a pureza dos gases do biogás. 

As membranas poliméricas separam o CO2 e CH4 depois que o biogás sai do biodigestor, facilitando a separação dos componentes e melhorando a qualidade do gás. A UBE Industries Ltda é um conglomerado japonês criado há mais de 100 anos, a fim de melhorar a prestação de serviços para a indústria. A empresa também é uma das pioneiras em membranas no mundo e tem uma linha de alta tecnologia para o mercado de biogás. A opção exclusiva utiliza fibra oca de polimida também para separar as moléculas, usada também no tratamento de gás natural. Este ano, a UBE tornou-se a nova Associada Mantenedora do CIBiogás, visando auxiliar na gestão de resíduos no Brasil a partir de uma tecnologias disruptivas em um mercado em constante evolução.

Projeto de sucesso com membranas

O case da planta piloto executada pelo CIBiogás, UBE e 3DI Engenharia, está localizada na UD Itaipu e é um exemplo de projeto onde as membranas são aplicadas para pureza do biogás.  O módulo de membranas tem capacidade de purificar 35 Nm³/h de biogás bruto a uma pureza superior a 90% de metano, um dos requisitos para enquadrar o biogás como biometano, segundo a ANP (Agência Nacional de Petróleo e Gás). Além disso o módulo também é equipado com um desumidificador para secar o biogás, torres de carvão para remoção de H2S (sulfeto de hidrogênio) e NH3 (amônia), bem como um compressor parafuso para entregar o biometano acima de 10 bar de pressão.

Valorizamos o compromisso da UBE em todos os seus processos para contribuir na gestão de resíduos no país, principalmente com as membranas poliméricas no setor do biogás, além de ficarmos honrados pela confiança depositada no CIBiogás como parceiro nessa jornada.

Quer se associar ao CIBiogás e fazer a diferença nesse mercado que só cresce no Brasil? Acesse o link https://cibiogas.org/associados/